domingo, 3 de junho de 2018

Fire and Water

Existe algo de realmente muito poderoso num Abraço de alguém que não abraça...
Um sentimento de pertença...
De Cura...
Existe Algo de Poderoso quando nos sentimos Protegidos num Abraço de quem Está!!!
Algo que nos faz Repensar... Reflectir sobre Quem Fomos...
Quem Somos e de que forma as nossas Ligações com o Mundo pautam quem queremos Ser!
Estaremos dispostos a ler e a reler velhas Histórias para as decorarmos, ou continuaremos a tentar perceber as semelhancas entre as mesmas sem nos darmos Conta das peculiaridades de cada Um?
Dei-me conta da Diferença...
Entre as semelhanças existe um Ponto Totalmente discordante...
Quem Foste e quem és...
E o que Vejo...
De repente tornou-se Claro!
Não se trata de comparar para me manter à Tona...
Já mergulhei... só não consegui Ver debaixo dessas águas turvas...
Inspirei para Expirar quando Regressei...
Foste o Primeiro a ver Além...Isso não partilhas com Ninguém...
Há Algo de Poderoso nesse Teu Abraço!
Que me fez Perceber quem Fui... já Não Quero Ser!
A dissonância entre a Ovelha e o Lobo...
O Fogo e a Água...
O Veneno e a Cura!
O que Chamas e te Desafia para Crescer...
O que Chamas para desafiar esse Crescimento...
Agora faz sentido o que virá para me colocar a Prova...e Claramente sei quem Quero Ser!!!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Fruits and Roots

Dias Claros que servem de Alimento a uma Alma que diz esfomeada...
São dias de "Barriga Cheia"!
Em que sem pensar as ideias surgem...
As certezas!
São poucos os dias em que me sinto assim e tenho a capacidade debitar...
Mas Hoje...
Porque é Importante registar...
As certezas...
Não se trata de voltar a Cair...
É aquele sentimento...
A Certeza de que Sei o que Quero!!
Tão claro e palpável...
Tão Vivido!

O Exigir de mim bastante mais do que tenho capacidade de Me Dar...
Mas hoje é fácil...
E num flash revivo Mil Vidas...

E através do Outro consigo Sentir...
Assumir a Responsabilidade...

Quando o dia Chegar...
Não vai ser nem o Ódio nem a Raiva que me vão permitir dizer Não...
O Amor- Próprio?
Talvez...

Mas neste momento...Neste Preciso Momento o que me Acalenta...
O que me Move e me dá Forças...
Foi o Momento em que Recordei o que é Incondicional...

Sei o que Quero...e estou disposta a aceitar Pedaços do que é....
Bocados de um TODO...

Mas para isso é necessário que esse TODO exista...

Visualmente...?? Bom estou disposta a esperar que a Árvore dê FRUTOS...
Que amadureçam...a Imagem é tão clara como se a olhasse com Olhos de Ver e não de Sentir...

As Raízes estão cá!

E bom...Frutos não são cascas...Secas...e lembro-te assim...Seco...Sem nada para Dar a não ser Tornar fértil o Solo onde crescem as minhas Raízes!!!!







quarta-feira, 23 de maio de 2018

A Necessidade da Gratidão



Quase uma Ode para mais uma vez te Agradecer!
Os outros nunca tem noção do quanto nos Tocam ou ajudam nos nossos processos individuais!
Foi isso que voltaste a fazer!
Ajudaste no momento em que sentes de uma outra forma algo que não tinha ponderado dessa forma!
Mais uma vez foi aquela linha...Aqueles segundos que me deram a certeza que por muito que ás vezes não me apeteça...
É hora de mudar...
De Ir...
Partir!
Procurar outras estradas que não estejam já calcorreadas...
Cansadas dos meus pés...
Hora de trocar a roupa na mochila...
A Estação mudou....

Grata pelas tuas palavras...
Fizeram Eco...
E por mais injusto que possa parecer o que te Estou a fazer...
É a mais a forma como me queres...

Até um Dia...

terça-feira, 22 de maio de 2018

Invictus


Out of the night that covers me,
  Black as the Pit from pole to pole,   
I thank whatever gods may be   
  For my unconquerable soul.   
   
In the fell clutch of circumstance 
  I have not winced nor cried aloud.   
Under the bludgeonings of chance   
  My head is bloody, but unbowed.   
   

Beyond this place of wrath and tears   
  Looms but the Horror of the shade, 
And yet the menace of the years   
  Finds, and shall find, me unafraid.   
   
It matters not how strait the gate,   
  How charged with punishments the scroll,   
I am the master of my fate:
  I am the captain of my soul.
William Ernest Henley1849 - 1903

quinta-feira, 12 de abril de 2018

The Fox....and the Wolf

Podia escolher a data que quisesse para este texto...
Podia "vasculhar" memórias para saber porque raio surgiu a conversa do Principezinho!
Mas não quero ir mais atrás...
Quis apenas, ou quero...Já não sei que tempo verbal aplicar...
Deixar registado que de Ovelha/Rosa me transformei em Lobo...
Quero (ás vezes não) recordar a ternura na tua voz quando vês um cão...
Quando falas da honestidade que os ditos possuem no Olhar...
Quero lembrar o que senti quando falaste no filme que não vi porque adormeci, numa altura em que a Realidade era tão melhor que os Sonhos...
Mas não me conheceste aí...Ajudaste-me com o teu Cuidado a retornar a isso...
E Hoje via o filme para me sentir próxima de ti...
Olho o Mar, ainda que não vá fazê-lo para respirar fundo, e penso em Ti...
Tudo o que faço me "recorda" de ti...
Aceitar o que é pelo que é...
E não me sentir fora de tempo, é uma tarefa hercúlea...
Mas é o que tenho feito desde o momento em que criei uma Imagem na minha Mente...
Todo um cenário que peço ao Universo que não se torne Real..
Mas para mim foi...
Sei o que me Desejas...
E sei o que Sinto...
Não quero esse cenário para nenhum de nós...
E sei que não existe uma outra Forma de nos voltar a fazer Navegar...
Aceitar...irás ler isso em muitos dos textos que já tinha escrito...
Irás ver onde e porquê (porque já sabes) tornei a minha escrita Críptica...
...e falar...é tornar Racional o que ás vezes é Tudo menos racional...
Escrever é debitar palavras...usar a semântica para explicar o inexplicável...


Wild World



Tenho “fugido” à escrita por achar que qualquer texto que saísse deste teclado ficaria demasiado confuso...
Sinto a Tua Falta…É a única frase que faz sentido…
Talvez seja o hábito da escrita…
Talvez a jovialidade das brincadeiras…
O Hábito que é próprio …Aqueles comportamentos que se tornam memória física…
…e as memórias…Traiçoeiras…
Aqueles momentos em que o meu cérebro procura explicações…
Como é que se “perde” o controlo tão depressa?
Nunca neguei a Tua  importância…Nem o Respeito que sinto…
A tua sensibilidade, quem és e o que Representas…
“Chamei-Te”…Procurei-te…mas até Hoje acho que Nunca Acreditei que te pudesse encontrar…
O “Meu” Viajante…”Criado por mim”…Aquele que me Acalentava…e semeava o que Hoje acredito ser Possível…
Nunca foste “Perfeito”…sempre foste Totalmente (Im)Perfeito…eras uma Fábula…
Davas-lhe Vida…
E na minha mente uma Frase perpetua…”(…) eu nunca te diria isso Porque Eu Sei que é a mim que Procuras (…)”
As Palavras tem Poder…será que Sabes a Verdade que essa Frase contêm?
Porque junto a Outros sons, formem os ditos, palavras ou não…essa está em Repeat…
Quanto à mensagem matinal...quis que soubesses..ou Não...que vinha a Ouvir aquela no Carro...
E O Mundo "Selvagem" junto com a muita chuva desta manhã deixo-me nostálgica...
De uma Vida que não Vivemos no Mundo Real...

terça-feira, 27 de março de 2018

Run







I'll sing it one last time for you

Then we really have to go

You've been the only thing that's right

In all I've done



And I can barely look at you

But every single time I do

I know we'll make it anywhere

Away from here



Light up, light up

As if you have a choice

Even if you cannot hear my voice

I'll be right beside you dear



Louder louder

And we'll run for our lives

I can hardly speak I understand

Why you can't raise your voice to say



To think I might not see those eyes

Makes it so hard not to cry

And as we say our long goodbye

I nearly do



Light up, light up

As if you have a choice

Even if you cannot hear my voice

I'll be right beside you dear



Louder louder

And we'll run for our lives

I can hardly speak I understand

Why you can't raise your voice to say



Slower slower

We don't have time for that

All I want's to find an easy way

To get out of our little heads



Have heart, my dear

We're bound to be afraid

Even if it's just for a few days

Making up for all this mess



Light up, light up

As if you have a choice

Even if you cannot hear my voice

I'll be right beside you dear



Snow Patrol.....DF....R...ewind....

segunda-feira, 26 de março de 2018

What Hurts the Most




I can take the rain on the roof of this empty house
That don't bother me
I can take a few tears now and then and just let them out
I'm not afraid to cry every once in a while
Even though going on with you gone still upsets me
There are days every now and again I pretend I'm ok
But that is not what gets me

What hurts the most
Was being so close
And having so much to say
And watching you walk away

And never knowing
What could have been
And not seeing that loving you
Is what I was trying to do

It's hard to deal with the pain of losing you everywhere I go
But I'm doin' it
It's hard to force that smile when I see our old friends and I'm alone
Still harder, getting up, getting dressed, living with this regret
But I know if I could do it over
I would trade, give away all the words that I saved in my heart
That I left unspoken

What hurts the most
Was being so close
And having so much to say
And watching you walk away

And never knowing
What could have been
And not seeing that loving you
Is what I was trying to do

I'm not afraid to cry every once in a while
Even though going on with you gone still upsets me
There are days every now and again I pretend I'm ok
But that's not what gets me

What hurts the most
Was being so close
And having so much to say
And watching you walk away

And never knowing
What could have been
And not seeing that loving you
Is what I was trying to do

What hurts the most
Was being so close
And having so much to say
And watching you walk away

And never knowing
What could have been
And not seeing that loving you
Is what I was trying to do


Aaron Lewis

...JTS....RF...